Apoio
Realização

© Plástico Maravilha 2020 

  • Facebook
  • Instagram

Segundo Laboratório Plástico Maravilha


No fim de semana de recebemos nosso segundo laboratório. O nosso convidado especial foi Maurizio Zelada. Apesar do Mauricio ser um grande inventor das máquinas que não funcionam esperávamos que ele nos ajudasse a fazer a nossa máquina trituradora funcionar, e ajudou, muito! :)

Iniciamos o encontro com um bate papo explicando o projeto e nos apresentando em roda. Mauricio contou um pouco da sua história com os desinventos, pra mim Maurício é o Manuel de Barros dos objetos. Seu pai era um grande inventor que manteve uma fabriqueta no fundo do quintal, inventando mil coisas , mas com aquela dificuldade na administração , suas empreitadas não duravam mais do que alguns poucos anos, até que começasse um novo negócio. Um desses ramos foi a reciclagem de plástico, pensem em uma coincidência. E foi lá onde Maurício aprendeu a desmontar as coisas.

O

último da roda foi o Primo Gerbelli. A apresentação dele foi uma linda ode ao objeto, um bate-bola místico sobre a criação da matéria com Zelada, me arrepiei e me renovei. Do amor compartilhado pela criação concorda-se sobre o caráter divino em dar a luz a uma obra/objeto. Quando se concebe uma obra em ideia, ela é como uma conversa com os próprios materiais, você pede que ele fique de certa maneira, e o diálogo se inicia quando ele toma forma própria, você aceita, e continua , a partir do resultado dado do objeto. Aceita-se a ideia de que somos passagem também de algo maior, ferramentas como as tantas outras que amamos , isso nos leva ao desapego da ideia inicial.




Após a conversa passamos o vídeo inicial do Precious Plastic para contextualizar aqueles que nos visitavam pela primeira vez. E depois disso nos dividimos em grupos do trabalho: um grupo ficaria responsável por separar e testar os plásticos com os testes de flutuação, outro seria responsável por fazer os conteineres para armazenar os plásticos já separados , através da fusão de sacolinhas de supermercado; e um terceiro grupo que continuaria a trituradora

Nossos problemas então eram: repor os capacitores do motor, que sofreram em uma tentativa de liga-los e encaixá-lo na caixa trituradora e por fim fixar tudo na mesa. Primo e Maurizio formaram uma ótima dupla, que rapidamente arrumaram essas necessidades. E finalmente ligamos a trituradora. Como sempre é com os grandes inventos , não deu certo :(

A força do motor foi muito maior do que a nossa tentativa de prendê-los com sargentos e a estrutura acabou se torcendo toda. Puxamos da tomada na correria e decidimos criar um botão de emergência.



O dia seguiu com nosso almoço comunitário, onde cada um levou um prato.

No dia seguinte continuamos com planejamentos, tínhamos que pensar qual a estrutura necessária para fixar motor e trituradora, visto que nosso motor não é o mesmo que no projeto ( a história dos motores é longa, e merece um post só pra ela). Maurizio nos deu a ideia de visitá-lo em seu ateliê para terminarmos lá a máquina, isso por que ele tinha todas as ferramentas necessárias para adiantar em muito o nosso trabalho.

Assim seguiu o nosso laboratório, com os mesmos grupos de trabalho, muito conversas plásticas e comida boa. Em breve post sobre a visita no ateliê do Zelada e a finalização da Trituradora!